Já lixei um!!!!

sexta-feira, 12 de novembro de 2010
Ah pois é!! Comigo não brincam!

Foi tão giro, mas tão giro, que tenho mesmo que vos contar:

Eu moro num prédio que tem um larguinho alcatroado e com calçada para dar acesso às garagens, nas traseiras. Do outro lado da calçada há um estacionamento que tem sempre lugares vagos. Acontece que há uns chicos-espertos que gostam de estacionar os seus carrinhos no alcatrão do largo, em vez de os meterem numa garagem ou no estacionamento.

Pois que hoje, vinha eu descansadinha da faculdade, entro para o largo para pôr o carro na garagem, e vejo que está um opel corsa azul, com jantes azuis (todo 'kitado'), parado em frente aos portões das garagens, e com a traseira assim um nadinha para a frente da minha porta. E eu pensei cá com os meus botões: "Ai é? Espera lá que já te fodo." Não fui de modas, liguei para a PSP.

Expliquei a situação e passados 5 minutos estava cá um agente, que ainda mandou a piada que eu até conseguia pôr o carro na garagem, era preciso umas manobras mas entrava (não querem é trabalhar!), mas lá tomou conta da ocorrência, passou a multa e chamou um reboque! Estava tudo à janela, aqui nos prédios que têm as traseiras a dar para o larguinho, e as pessoas que passavam na rua abrandavam para ver (também é dose, um carro da polícia aqui parado meia hora a trabalhar e com as luzes ligadas). Em meia horita o reboque chegou e levaram o carro.

Tivémos apoio de dois vizinhos, que disseram "sim senhor, é mesmo assim, têm de aprender". Mas eles próprios não fizeram nada (um deles até era o que tinha a garagem completamente bloqueada pelo carro em questão). Ah mas cá comigo não brincam! Bem que o lixei!! E tão saborosa que é a vitória!


5 comentários:

  1. Sorcha disse...:

    LOL. Concordo. A sério. Quando morava no Algarve, com o meu pai, o nosso prédio tinha um pequeno estacionamento privado. Que nem sequer dava para todos os moradores, mas moralmente, estacionavam ali as pessoas que lá viviam há mais tempo. Até que de repente, pessoas que vinham trabalhar/passear nas lojas do centro comercial ali de perto começaram a estacionar e a roubar os já poucos lugares. Legalmente não podiamos fazer nada, pois o parque de estacionamento não tinha portão, apesar de ser privado. O meu pai, farto de não ter lugar sistematicamente, e após nenhum dos vizinhos também incomodados mas passivos se manifestar, não foi de modas: secretamente mandou sacos cheio de... trampa (!!!) para cima dos carros! LOL. Problema resolvido, para sempre! Sim... foi algo radical e extremo... mas foi o melhor que ele conseguiu na altura. :D

  1. Lilith disse...:

    Ora aí está! É preciso é coragem para agir! Precisamos de deixar de lado a passividade e o "não é comigo, não me meto" e agir!

  1. f-style disse...:

    ganda vitoria, tb so fizeste isso tudo porque era um carro kitado, porque se fosse um carro normalissimo, de certeza que ja nao se passava nada, enfim ah pessoas que so pensam em lixar as outras em vez de se entre ajudarem...

    ps: acho que nao te custava nada avisares o dono do carro em vez dessa treta toda...

  1. Lilith disse...:

    Faria isso com qualquer carro, não por ser um carro "kitado". E como é que eu ia avisar o dono do carro se não faço a menor ideia quem é? O carro não pertencia a um morador, ninguém aqui sabia a quem pertencia. Ia pôr-me a buzinar à noite? O estacionamento ali a uns metros de distância tinha montes de lugares, como é habitual, o carro não tinha nada que estar ali. É contra a lei, além de ser uma falta de respeito enorme para com as pessoas que usam as garagens.

    Se não tens nada inteligente para dizer, mais vale não dizeres nada.

  1. Pantera disse...:

    Acho que o facto de o carro ser "kitado" ou não, não altera em nada a situação. Se estava estacionado onde não devia, dificultado e impedindo a passagem dos moradores do prédio às suas garagens, tendo a metros de distância um estacionamento com lugares livres, simplesmente estava a pedi-las.
    Se a Lilith não tivesse feito o que fez, provavelmente ia chegar a um ponto em que algum outro morador teria de o fazer, se quisesse sair ou entrar do prédio e devido a esse carro não pudesse.
    Portanto, não ia ser pela aparência do carro que a situação ia mudar.