Pigeons Are People Too!

quarta-feira, 4 de agosto de 2010
Pois é, ninguém se lembra deles, mas os pombos também são gente.

Sim, sei que têm muitas doenças, muitas pessoas referem-se a eles como "ratos com asas" ... mas o que há de tão errado com os ratos também? Não têm direito à vida? Se os pombos e os ratos carregam doenças é por nossa culpa, que lhes roubámos o habitat e criámos poluição onde quer que pusémos os nossos rosados pézinhos.

Gosto de ratos, e gosto de pombos. Sempre gostei de dar pão/milho aos pombos. E no Domingo fiz algo que sempre quis fazer.

Quando estava a chegar a casa, à garagem, para arrumar o carro, reparei num pombo no chão, que não conseguia sair dali. Aproximei-me e ele não fugiu, não conseguia andar, tentava apenas arrastar-se com as asas. Por muito que simpatize com eles, não costumo fazer grande coisa com pombos feridos... geralmente não há muito a fazer quando não se tem posses para os levar ao veterinário. Mas, não sei porquê, desta vez não consegui ficar indiferente.

Arrumei o carro na garagem, subi até casa, agarrei numa toalha velha e fui buscar o pombo.

Ainda estava no mesmo sítio, logicamente, e consegui enrolá-lo na toalha. As asas pareciam estar em funcionamento, ele bem que as agitou, mas não conseguiu levantar voo. Ou tem algum osso partido no tronco ou o problema é mesmo nas patas.

Tenho uma transportadora de plástico grande, das minhas filhotas, portanto forrei-a com papel de jornal e meti lá o pombo com umas migalhas de pão, uma lasca de maçã e uma caixa com água. A primeira coisa que ele fez quando chegou cá a casa foi beber, estava mesmo com muita sede. Não quis nada com a comida.

No dia seguinte, vendo que a comida estava intocada, resolvi dar-lhe arroz cru (ideia da minha mãe). Só hoje, quarta-feira, é que o vi comer o arroz. Ou seja, não pensei que passasse da primeira noite, mas passadas 3 noites ele ainda cá está.

Mudo-lhe a cama todos os dias, e todos os dias ponho água fresca e comida. Ele parece estar a ficar mais forte. Espero que se recomponha, para o poder libertar.

Não é bom ajudar? Mesmo que ele tivesse morrido na primeira noite, ao menos sei que teria tido uma morte mais confortável aqui do que na rua, à mercê dos outros animais e dos elementos (e quando digo "outros animais" incluo humanos com baixos níveis de humanidade). Essa ideia ainda se mantém, porque não sei se ele terá algo de muito grave. Mas pelo menos come, bebe, e sei que funciona muitíssimo bem dos intestinos! Parece estar no caminho da recuperação.

E sim, não se preocupem, tenho tido cuidado! As gatas não lhe chegam, porque ele está fechado na transportadora, e por isso não lhe fazem mal nem correm grande risco de apanharem uma doença. E eu uso sempre luvas descartáveis de latex quando lhe mexo, e mesmo apesar das luvas lavo as mãos com sabão logo a seguir. Não gosto que lhes chamem "ratos com asas" mas isso não quer dizer que não aceite o facto de carregarem imensas doenças, pobrezinhos.

1 comentários:

  1. Sorcha disse...:

    cá por mim, são apenas animais parvos LOL Quer dizer... é como as galinhas, não sei... dão-me vontade de rir! mas nada contra. A minha mãe tem um pombal, lá no monte, e come pombos. Sim... faz criação, e depois vão para a panela como outra ave qualquer. Portanto... é de louvar o que fizeste. Eu se calhar também o fazia. Mas... tens de dizer se o pombo sobreviveu ou não!